sexta-feira, 1 de julho de 2011

FÁBULA DA CONVIVÊNCIA

Fábula da Convivência

Durante um inverno muito forte, quando toda a região estava coberta com densas camadas de gelo,muitos animais não resistiram ao frio intenso e morreram indefesos, por não se adaptarem ou terem aptidões físicas para se adaptarem ao clima hostil.
Foi então que uma grande vara (manada) de porcos-espinhos, que viviam reunidos, numa tentativa de se proteger e sobreviver começou a se unir, a juntar-se mais e mais, assim, cada dia um podia sentir o calor do corpo do outro e todos juntos, bem unidos agasalharam-se mutuamente. Aqueciam enfrentando por mais tempo aquele inverno tenebroso.
Porem, vida ingrata, os espinhos de cada um começaram a ferir os companheiros mais próximos, justamente aqueles que lhe forneciam mais calor, aquele calor vital, razão de vida ou morte, e uns foram se afastando, feridos e magoados. dispersando uns dos outros, por não suportarem mais tempo os espinhos dos seus semelhantes. Doíam muito....
Mas, essa não foi a melhor solução: afastados e divididos logo começaram a morrer congelados; os que não morreram foram se aproximando pouco apouco novamente, com jeito, com precaução, de tal forma que unidos novamente, cada um conservava certa distância um do outro, minima, mas o suficiente para conviver sem se ferir, sobreviver sem magoar o próximo e sem sofrer danos recíprocos.
Essa distância pode ser compreendida como: respeito.
Respeito a si próprio e ao próximo.

Créditos:
http://fabricademóveis



5 comentários:

  1. Como está?

    Das fábulas se tira algum proveito.

    Saudações poéticas

    ResponderExcluir
  2. É....antes de mais nada: respeito a si mesmo!

    Muito bom!!

    []s

    ResponderExcluir
  3. Nossa.... achei tão lindoooo!!!
    obrigada e abraços bem quentinhos, pois aqui está congelando tudo.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada meninos e meninas, voltem mais vezes.
    Bj.

    ResponderExcluir